Descobri a linda Bruges quando assisti ao filme Na mira do chefe (In Bruges), de 2008, que se passa na mágica cidadezinha. Por trás do humor negro, as cenas de fundo foram suficientes para despertar uma imensa vontade de conhecer essa joia da Bélgica.

Conhecida como Veneza do Norte, essa cidade medieval da região de Flandres é Patrimônio da Unesco desde 2000. Porém, suas primeiras construções foram feitas durante o Império Romano, no século I a.C. Mais ou menos 1 século depois a cidade foi um importante ponto comercial por cerca de 400 anos, com um porto conectado ao mar por um canal. Após o declínio como região comercial, no século XIX, Bruges ressurgiu como importante local turístico, por conta de suas belas ruas, canais e construções medievais.

Ruazinhas de Bruges

Canais de Bruges

Bruges

A melhor forma de se chegar em Bruges (ou Brugge) é de trem. É possível verificar os trens que saem mais ou menos a cada meia hora de Bruxelas (Brussels) no site da NS Hispeed, um percurso de cerca de 1 hora. Porém, vindo de mais longe, como de outras cidades da Bélgica, ou de Amsterdã ou Paris, por exemplo, você pode comprar antecipadamente sua passagem e esses sites podem ser úteis: Belgian Rail, SNCF, ou Voyages-SCNF. Geralmente uma passagem de trem na Europa pode ser comprada nos sites com 3 meses de antecedência. Outro meio de se deslocar mais economicamente pelas cidades maiores é o ônibus da Flixbus ou Megabus, por exemplo.

Canais de Bruges

Canais de Bruges

Visto do barco

Como é uma cidade bem pequena com as atrações turísticas bem concentradas apenas em uma região, a maioria dos visitantes conhece Bruges fazendo um bate-volta de alguma outra cidade. Porém, acho que o mínimo deve ser um dia inteiro, menos que um dia não vale a pena. Eu optei por chegar à noite, dormir próximo ao centro histórico, passear por um dia inteiro e ir embora ainda cedo no dia seguinte. Porém, se eu fosse embora ao escurecer no mesmo dia que visitei não perderia nada, pois no fim do dia todas as atrações fecham (tudo funciona mais ou menos entre 9h30 e 17h a 18h) e o lugar fica “morto”.

Em Bruges

Puro charme

Tinha uma banda percorrendo tocando nos principais pontos da cidade

Saindo da estação de trem, levei mais ou menos 15 minutos a pé até o centro histórico. Não tem coisa melhor do que andar pelas ruazinhas de Bruges, definitivamente esse é o melhor passeio. Porém, a maioria das atrações da cidade fica bem próxima uma da outra. O que ficaria um pouco mais longe (e mesmo assim não achei super longe) são os moinhos, mas também dá para ir a pé.

Grote Markt

Vista do Belfort

Em Bruges

A Grote Markt é a maior praça da cidade (aliás, que lugar lindo!). É lá, nas barraquinhas da praça, que você pode comprar as famosas batatas fritas belgas. Se você pretende entrar nos principais locais, existe um passe que permite visitar 5 atrações turísticas e achei que o valor compensa em relação a pagar o valor para entrar em cada uma separadamente. Ele é vendido em qualquer uma das atrações.

Os canais

Belfort

Bares na praça

Além dos passeios pela cidade, em Bruges você pode curtir os famosos chocolates e cervejas belgas! Eu não visitei, mas na cidade, além das inúmeras lojas, há um Museu do Chocolate e também um Museu da Batata Frita. A cidade tem muitas lojas e bares legais, além dos museus. Fora isso, um gostoso passeio é pegar um barco para cortar os canais e observar a cidade por outro ângulo. O passeio de barco dura meia hora e custa 8 euros. Informe-se sobre preços e horários atualizados aqui e aqui.

Loja de chocolates

Passeio de barco saindo

Chocolates belgas

Voltando à praça central (Markt), a principal atração da cidade está lá, é o Belfort (ou Belfry), o Campanário de Bruges. Ele é uma das mais de 50 torres semelhantes que existem na região de Flandres, tombado como Patrimônio histórico da humanidade. Aqui neste link da Unesco fala um pouco mais sobre os Belfries da Bélgica e da França. Esse local é uma ótima oportunidade de ver a cidade de cima, pois a torre tem 83 metros de altura, mas prepare-se para os seus 366 degraus! Porém, ressalto que a vista compensa muito. O Belfry foi construído no século XII, e ao subir você poderá ver o sino musical de perto (composto na verdade por 47 sinos), e ouvi-lo perto do meio-dia. Os horários e preços atualizados podem ser conferidos neste site.

Grote Markt

Belfort

Bares legais para experimentar a cerveja belga

Outra importante praça da cidade é a Burg Square. Nela está a Basílica do Sangue Sagrado (Heilig-Bloedbasiliek) (site). Acredita-se que nela há um recipiente que supostamente carrega o sangue de Cristo. Há até uma fila para ver de perto esse recipiente, e eu não podia apontar minha câmera na direção em que ele estava dentro da basílica. Nessa mesma praça está o Stadhuis, a construção que abriga a prefeitura da cidade.

Subindo no Belfort

“Caixinha de música”, sinos no Belfort

A Catedral de São Salvador é a igreja mais antiga de Bruges, datando do século XII. Outra igreja famosa é a Igreja de Nossa Senhora (Onze Lieve Vrouwekerk), que tem uma escultura de Michelangelo, a Maddona with Child, e conta com uma torre de 115,5 metros de altura (uma das maiores da Europa!).

Em Bruges

Canal em Bruges

Um belo lugar para admirar é o Minnewatterpark, o parque que tem o lago do amor, onde tem a ponte que você pode cruzar com seu amor para ele ser eterno. Ele fica próximo ao Begijnhof, um local tranquilo que era uma espécie de convento, fundado em 1245, com o jardim das Beguinas e um museu. As Beguinas eram mulheres que queriam viver dedicadas a Deus, mas sem fazer votos.

Basílica do Sangue Sagrado

Basílica do Sangue Sagrado, olha a fila para ver o sangue de Cristo

Também sugiro a visita ao Saint John’s Hospital, um hospital desativado em 1978 depois de funcionar por 790 anos! Hoje o local funciona como museu. Próximo há o Groeninge Museum, museu dedicado à cultura belga e flamenga.

Museu no antigo Saint John’s Hospital

Um lugar que gostei muito de visitar foi a cervejaria e museu Brouwerij De Halve Maan, produzida desde 1856. Segundo a Fiona, do Shrek, é a melhor cerveja que existe. Há uma visita guiada pela fábrica (custa 8,50 euros) e a cervejaria fica na parte de baixo. Gostei muito do tour e, lá de cima da fábrica, há uma ótima vista. Eu não fui, mas na cidade há um Museu da Cerveja, que conta a história dos vários rótulos da região.

Vista de cima da cervejaria De Halve Maan

Canais

Outra delícia em Bruges

Outra coisa diferente para visitar em Bruges são os moinhos. Ao contrário das atrações que mencionei até agora, eles ficam um pouco mais afastados do centro. Há vários moinhos, mas o principal é o Sint-Janshuis Mill, um moinho original de 1770. Eles ficam depois do portão de Kruispoort. Mediante uma pequena taxa você pode entrar e verificar como era seu funcionamento na época, achei bem interessante. A paisagem dos vários moinhos é tão linda que no dia seguinte em Bruges, ainda me sobrou parte da manhã, e retornei ao local com uma bicicleta alugada (é muito legal fazer um passeio de bike pelas ciclovias e ir até os moinhos se você tiver tempo).

Moinhos de Bruges

Moinho de Bruges, você entra nessa parte de trás para visitar

Moinhos de Bruges

Aqui há um mapa da cidade mostrando todas as atrações. Este outro mapa é bem curioso, ele mostra as atrações que aparecem no filme In Bruges, que mencionei no início desta postagem.

Em Bruges há atrações para todos os gostos. Há várias outras igrejas e museus menores que não mencionei. Porém, esse local tão charmoso certamente vai te dar algum motivo especial para te apaixonar!

Moinho em Bruges

Muito charme!